Postagens

Mostrando postagens de 2020

Caso 3M: quando uma transnacional pode desafiar o Estado mais forte do mundo

Imagem
Durante muito tempo, a força dos Estados nacionais era incontestável no mundo que começou a emergir junto com a Revolução Francesa. No entanto, naqueles fins de Segunda Guerra Mundial, no século XX, eles começaram a experimentar um declínio que é, hoje, explícito perante os nossos olhos.

Trump e a 3M
Em tempos de pandemia mundial como a que estamos vivendo, coube ao presidente do Estado mais forte e poderoso do último século no mundo — os Estados Unidos — evocar uma lei nacional dos anos 50, a Lei de Produção para a Defesa, ou "P Act",  para obrigar empresas privadas, como as de automóvel, a produzir respiradores mecânicos e uma outra, a 3M, a parar de exportar máscaras hospitalares para o Canadá e a América Latina, para beneficiar o estadunidense local.

De todas as famosas empresas automobilísticas estadunidenses, apenas a GM parece disposta a acatar o pedido de Donald Trump; já a 3M declarou abertamente que não vai cumprir a determinação, coisa impensável, por exemplo, n…

O viralatismo do governo brasileiro nunca foi tão constrangedor

Imagem
A Guerra Fria trouxe consigo uma consequência que pesa até hoje na questão da nossa soberania — pra não dizer da nossa autoestima. A participação do Brasil na II Guerra Mundial representou um alinhamento das nossas elites, através das Forças Armadas, com o ideal de mundo liberal estadunidense.

A partir daí, na cabeça de nossas classes dominantes, criou-se o mito de que o que era bom para os Estados Unidos era bom para o Brasil. Nada mais falacioso.

A Guerra Fria se foi e a dependência sentimental, econômica e ideológica do Brasil (leia-se, na verdade, um sentimento de xenofilia de uma parcela da alta elite que influencia o comportamento de parte da classe média) em vez de diminuir, parece que aumentou.

O PSDB foi o principal partido que, na política institucional, a partir dos anos 90, acampou o maior número de políticos dispostos a representar interesses das altas classes alinhadas com os Estados Unidos no nosso território. O neoliberalismo econômico, fruto dos ideais do Consenso de …

Idosos no Brasil: vítimas do coronavírus, vítimas da sociedade

Imagem
Uma das consequências da grave pandemia de coronavírus que ora se alastra descontroladamente pelo mundo, é a grande exposição dos idosos. E não apenas no sentido de serem noticiados como as vítimas principais do patógeno, mas também como alvos de severas críticas neste momento de crise.

Quem tem por volta de trinta e cinco anos ou mais, como eu, há de se lembrar do famoso seriado A Família Dinossauro. Num dos seus episódios, evidencia-se a tradição dos dinossauros de se desfazer de seus idosos no aniversário de 72 anos. Tudo começou, de acordo com o milenar costume jurássico, quando um líder tribal, se sentindo velho, esquecido e inútil, determinou que a partir daquele momento, todos os idosos daquela idade seriam jogados de um penhasco no "Poço de Piche". 
Uma bela alegoria de como nós, seres humanos, especialmente do Ocidente, tratamos nossos idosos. 
Ou nós também não achamos que nossos pais e avós, depois de atingir uma certa idade avançada, são um estorvo, quando, por e…

Falta de respeito com a quarentena em Cabo Frio-RJ

Imagem
De manhã cedo, a prefeitura de Cabo Frio-RJ interditou o acesso à praia bloqueando as passagens na praia do Forte com fitas iguais àquelas que se usam em locais de crimes. Seria suficiente para uma população educada e ciente do grave problema que passamos. Mas não para certos idiotas.



No momento em que o Brasil registra o crescimento exponencial de casos do novo coronavírus (já são mais de 600 confirmados hoje, ainda muito longe da previsão de ápice) banhistas rompem o lacre e vão se reunir na praia interditada nesta manhã.



E assim continuam frequentando igrejas lotadas, por exemplo, colocando em xeque a quarentena e potencializando os riscos de pandemia no Brasil.


Esses episódios dão a medida do quanto precisamos evoluir enquanto comunidade. Ainda somos crianças que precisam ser tuteladas pelas autoridades. E muitas vezes punidas.


O Incêndio no Ninho e o jornalismo como arma política da Globo

Imagem
Neste fim de semana completou-se um ano do trágico acidente envolvendo jovens da base no Centro de Treinamentos do Flamengo, o chamado Ninho do Urubu. Em meio a diversas homenagens e justas cobranças para que os culpados sejam identificados e punidos, aparece agora o súbito interesse das Organizações Globo neste episódio.

Passou-se um ano desde o acidente no Ninho do Urubu e não se viu tamanha cobertura jornalística da Rede Globo sobre o incêndio em nenhum momento. Agora, há matérias no Jornal Nacional, no Esporte Espetacular, no Faustão e quem sabe mais onde esse assunto será tema especial daqui pra frente.

Essa cobertura estranha me fez lembrar um outro episódio. Em 1989, nas vésperas da eleição presidencial, as Organizações Globo estavam em pleno horror pelo favoritismo de Lula e Brizola. E então, em questão de meses, colocaram todo seu aparato midiático a favor de um até então ilustre desconhecido governador de Alagoas, que tinha até seu próprio slogan marqueteiro: o caçador de ma…

Conflitos de classes nos hospitais públicos brasileiros

Imagem
Nunca a imagem dos médicos esteve tão arranhada no Brasil. Nem tanto pela recente oposição desses profissionais à vinda de colegas estrangeiros ao país, para cobrir o enorme déficit de médicos pelo interior – onde se recusam a trabalhar, sob as mais variadas desculpas –, mas pelos inúmeros casos de frieza, descaso, faltas, fraudes em plantões, negligência e indiferença que vieram à tona por todos os lados – e que fizeram até o Ministério da Saúde dizer recentemente que era preciso “humanizar” os profissionais no trato com seus pacientes.

No seu livro já bastante citado por aqui, A Ralé Brasileira – Quem é e como vive, o professor Jessé Souza abre espaço na segunda parte da obra aos autores colaboradores, como Lara Luna, doutoranda em Sociologia Política pela UENF, que traz casos reais daquilo que Jessé trata teoricamente na primeira parte do livro: as diferenças e preconceitos de classes que se refletem dentro das diversas instituições – aqui, no caso, nos hospitais públicos entre

Estátua de bronze de 80 toneladas homenageia o soldado soviético em Rjev

Imagem
Uma história pouco conhecida dentre os heroicos combates soviéticos durante a Segunda Guerra Mundial, a Batalha de Rjev, que ceifou a vida de 1,1 milhão de soldados russos, vai ganhar um monumento em sua homenagem.

Uma gigantesca estátua de bronze de 80 toneladas será inaugurada nas margens da rodovia que liga Moscou à Letônia.

A Batalha de Rjev ocorreu na região entre 1942 e 1943, quando o Exército Vermelho partiu para a ofensiva para expulsar os invasores alemães que até então faziam um cerco nas portas de Moscou, conhecido como "moedor de carne de Rjev", tamanho número de mortes de soldados que ocorreu em pouco tempo.

Sem dúvidas, a inauguração de tamanho monumento faz parte da crescente nostalgia que abrange dois terços dos russos com relação à União Soviética.

A queda do socialismo real naquele país se deu de forma abrupta, um movimento de bastidor que não contou com o apoio imediato da população no final do século XX.

O entusiasmo causado pela propaganda ocidental no i…

Flávio Dino quer alianças com a centro-direita. O PT, quem diria, critica

Imagem
Flávio Dino tem despontado no cenário nacional, primeiro, pelo feito nada desprezível de ter alcançado o governo do Estado no Maranhão ao derrotar o coronelismo da família Sarney; e segundo, por suas políticas públicas dignas de admiração na área da Educação.

No entanto, demonstrando as mesmas falhas filosóficas e conceituais dos velhos e novos líderes políticos de esquerda no Brasil, recusa as bandeiras decididamente de esquerda no país, preferindo defender práticas daquilo que se convencionou chamar de "velha política", a de alianças com o centro (que não passa, na verdade, de uma direita dissimulada) e com a centro-direita.

Esse processo ficou bastante claro a partir de 2003, quando Lula decidiu acabar com os sonhos de milhões de esquerdistas ao estender a mão a uma centro-direita derrotada peremptoriamente nas urnas, desmoralizada e jogada na lona do ringue, para com ela compor o governo. Tudo em nome da nefanda "governabilidade", segundo a qual, refletindo o p…

O atentado de Trump contra o Irã do ponto de vista das mídias ocidentais

Imagem
O ano de 2020 começa prometendo, e de forma preocupante. Pois aquele governante que tem a imagem internacional de mantenedor da ordem e da paz mundiais, foi justamente quem provocou um atentado terrorista de Estado contra o comandante militar de outro país. Donald Trump autorizou o ataque de mísseis que matou o general iraniano Quasem Soleimani no último dia 3, em Bagdá, Iraque.

A partir de então, o mundo entrou em estado de alerta contra uma possível Terceira Guerra Mundial. O Irã não é apenas mais um país qualquer do Oriente Médio que detém a quarta maior reserva de petróleo do mundo; ele é aliado de dois pesos-pesados da geopolítica internacional: China e Rússia.

Não é difícil prever uma escalada de ataques que desemboque realmente numa guerra global. O Irã possui meios de retaliar os Estados Unidos no Oriente Médio, bastando pra isso atacar algumas das dezenas de bases militares estadunidenses na região, provocando novo contra-ataque ianque, ao ponto em que alguns dos grandes alia…

2020: Mudanças no blog

Saudações caros leitores.

Antes de mais nada, quero desejar um ano novo repleto de felicidades a todos. 2019 não foi fácil, mas, como todo fim de um ciclo e começo de um novo, essa virada de ano nos dá ânimo para encarar os novos — ou os mesmos — desafios que se apresentam a nós. E é com esse espírito que venho comunicar algumas mudanças.

Primeiramente, esse ano eu pretendo dar mais atenção ao blog. De que forma? Produzindo mais postagens.

Com isso, temos ganhos e perdas. Ganhamos na maior produção de conteúdo, mas perdemos um pouco na pesquisa, pois publicar com frequência provoca menos tempo para aprofundar o assunto.

Ao fim e ao cabo, teremos um blog mais opinativo, o que não quer dizer que eventualmente eu não possa trazer aqui conteúdo mais qualificado, com fontes e citações.

É fato que as redes sociais mataram a blogosfera, outrora vibrante e participativa. Isso desmotivou velhos dinossauros como eu, blogueiro há 12 anos, oriundo de uma era de ouro, onde qualquer postagem atingi…