A última dos golpistas: eleições gerais pra presidente e vice

sujeira no congresso

Tentaram de todas as formas implicar a presidente em algum envolvimento nos escândalos da Lava Jato. Nada apareceu de concreto; depois, inventaram que as “pedaladas fiscais” constituíam crime de responsabilidade, tese que foi magistralmente desmoralizada por José Eduardo Cardozo na defesa da presidenta; então passaram a alegar que era preciso ouvir a voz das ruas para derrubar Dilma, como se isso constituísse motivo suficiente para um Impeachment; e por fim, tendo fracassado todas as manobras, a nova tentativa de golpe passa por simples eleições gerais, para presidente e vice, com base sabe-se lá em que novas falácias.

Um bloco de nove senadores do PPS, do PSB e da Rede vieram com essa nova ideia descarada, querendo aproveitar as eleições municipais deste ano para realizar nova eleição presidencial na base do tapetão. Bastaria uma emenda constitucional e pronto, que se dane as leis, os mandatos, os votos… O Brasil entraria em paz com um novo presidente e um novo vice. Mas com este mesmo Congresso?

É fato sabido que esta legislatura, uma das piores e menos brilhantes das últimas décadas, apresenta quadros não apenas medíocres em matéria de legislação, mas também suspeitos dos mais variados desvios de conduta. Estão aí denúncias como as de Furnas, delações, Lava Jato e a lista da Odebrecht que não me deixam mentir. Isso sem mencionar a novidade que surgiu esses dias: os já famosos Panamá Papers. Casos graves de corrupção, lavagem de dinheiro, favorecimento, enriquecimento ilícito… Bancadas da bala que ganham fortunas de empresas de armas para revogar o estatuto vigente sobre o tema, bancada evangélica que ataca diariamente o princípio do laicismo e propõe questões particulares como isenção de IPTU para templos alugados, bancada do agronegócio que impede o consumidor de identificar nas prateleiras dos mercados se o produto que ele consome vem de matéria-prima transgênica, um presidente da Câmara que devia estar na cadeia e outro do Senado que é o campeão de acusações anuais impunes… Ou seja, são estes elementos que vêm agora em público pedir eleições para presidente e vice, sem tocar em vossos mandatos…

O golpismo neste país atingiu níveis inacreditáveis. Mas devido a enorme reação das ruas, dos intelectuais, dos movimentos sociais e dos juristas honestos, há um clima de preocupação, de que o processo dê em água. Por conta disso começam a surgir estas teses totalmente absurdas, como renúncia, baixa popularidade como justificativa de impedimento, eleições antecipadas… E se o Lula se candidatasse e ganhasse as eleições? Passaríamos mais quatro anos nesta instabilidade política?

O que estes senhores golpistas estão fazendo com o país em nome de suas ganâncias pessoais é o que as classes dominantes fazem quando estão perdendo o jogo: roubam, trapaceiam, mudam as regras e sonegam. E por falar em sonegação, uma atividade que lesa a economia do país 25 vezes mais do que a tão decantada corrupção, seria bom dar uma olhada naquela lista do Panamá Papers… Vai ter muito político que pede renúncia da presidenta tendo que renunciar pra não perder os direitos políticos…

15 comentários:

  1. A elite mais vil e maior concentradora de renda e riqueza do planeta, seus asseclas e representantes no congresso, a mídia oligopolizada todos lacaios do grande capital internacional oligopolizado não admite a continuidade do projeto de independência tecnológica, econômico-financeira, diplomática, com inclusão social; numa expressão: social-desenvolvimentismo de LULA, Dilma, PT e sus aliados de centro-esquerda PCdoB e PDT!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sr. tem toda razão. E isso não é de hoje, qualquer governo que tentou mudar um pouquinho a situação histórica de desigualdade neste país, os privilegiados da Casagrande deram chiliques. Como disse Darcy Ribeiro, é a elite mais egoísta e perversa do mundo.
      Grande abraço.

      Excluir
  2. Só aceitarem que dói menos. 

    ResponderExcluir
  3. Eleições gerais? Eu ainda não estava sabendo dessa. Eles inventam tanta coisa, mas eu ainda consigo me surpreender com cada nova estupidez desse Legislativo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Lethycia. Eu me pergunto de onde vem tanta desfaçatez.
      Veja a cara do presidente do Senado se dizendo "favorável" à antecipação das eleições.
      Logo quem, um político que carrega nas costas dezenas de denúncias graves há anos, sem ter tido sequer a decência de se afastar da política, como é de praxe em outros países.
      http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/noticia/2016/04/renan-calheiros-defende-antecipacao-de-eleicoes-gerais.html

      Um beijo pra você, e eu não esqueci do seu blog não hein... rsrs. Só preciso de um pouco mais de tempo pra entrar lá com calma e ler suas postagens. ;)

      Excluir
  4. “Oi William! Você tem assistido os tramites e a Comissão do impeachment?? Se tem, como pode confiar no que esta' acontecendo, e neste Supremo aparelhado de juízes comunista e corruptos,” [Eonia Grace no G+]
    ▬▬▬▬▬
    O jeito mais rápido de resolvermos a crise política é apoiar Temer ... caso ele consiga apoio no Congresso.
    Eu estou bem, mas tem muita gente passando grandes dificuldades.

    Se Temer não conseguir apoio suficiente no Congresso daí vamos para a “confusão” do plano B:

    http://terapiadalogica.blogspot.com.br/2016/01/nova-eleicao-para-presidente.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me desculpe, mas tirar Dilma para colocar Temer, acusado das mesmas práticas ditas "ilícitas" no governo e outras tantas creditadas na sua biografia pessoal, coisas que agora aparecem em acusações e provas, arriscando colocar o país em estado de guerra civil, ainda mais com Eduardo Cunha como vice, é nada mais que estupidez pura e simples.

      É fazer papel de idiota, caindo na esparrela do golpe acreditando na fantasia neoliberal. Leia a tal "Ponte para o futuro", programa político do PMDB, e deixe de ser tolo que pertence à classe trabalhadora mas que pensa com a cabeça de um burguês que está longe de ser.

      Excluir
    2. A Guerra civil não vai acontecer porque os apoiadores de Dilma/Lula são minoria.
      Fazem muito barulho, invadem propriedades, fecham ruas ... mas não vejo a polícia e o exército do lado desses movimentos.
      Para ter guerra civil precisa de um exército dividido ou surgimento de guerrilheiros, não vejo sinais disso.

      A DILMA NÃO TEM APOIADORES.

      Acontece que em todos os países tem os simpatizantes do Marxismo, até nos países mais liberais.
      O Brasil praticamente só tem partidos de esquerda, PT, PSOL, REDE, PC do B, PSTU ... são partidos mais à esquerda e essa ideologia tem apoiadores.
      O PSDB é de esquerda, apenas um pouco menos radical.
      FHC teve momentos de Liberalismo e foi só.

      Todos sabemos que o Vice não apita muita coisa.
      Temer como qualquer vice assumia a Presidência de maneira protocolar.
      O Vice de Lula era Jose de Alencar e o que ele apitava?

      Eu preferia que fosse cassada a chapa e tivesse novas eleições junto com a de prefeitos.

      Mas Temer em um mandato tampão seria uma transição mais tranquila para eleições em 2018.

      Atualmente o pior cenário é Dilma continuar com seu Governo catastrófico.

      Temer não é o ideal, mas é o que temos para o momento.

      Excluir
    3. Os apoiadores de Dilma, estão lutando contra os apoiadores do golpe, coxinhas de classe média, banqueiros e empresários. Que eu saiba estes são minoria.

      No entanto, mesmo que os apoiadores de Dilma fossem minoria, quem sairia às ruas, como eu, seriam os defensores da democracia e da legalidade. E estes são muitos.

      São duas ideologias políticas lutando de lados opostos, e em situações como essa, não se surpreenda se o comando do exército lutar ao lado da legalidade, como em 1961, deixando de reconhecer a legitimidade de um possível novo governo golpista.

      Não tem essa de melhor ou pior cenário. Nada foi pior do que o governo Sarney, ou o ultimo mandato de FHC, mas estes cumpriram seus mandatos, porque não é por simpatia que se termina um mandato e sim por lei.

      Vão ter que esperar bonitinhos e quietinhos mais dois anos de Dilma.

      Temer se quiser ser ideal, se candidate em 2018

      Excluir
  5. Isso é o que me faz pensar que o Governo foi conivente com toda essa sujeira, por isso, não me surpreende que os bandidos queiram agora tirar os bandidos que podem desmascará-los.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que foi Silvia.

      O PT errou muito, errou demais, ao se juntar com essa corja.

      Agora está pra ser cuspido depois de ser sugado pelo PMDB até o caroço.

      O que nos leva a nos levantar para enfrentar essa situação não é a defesa do governo Dilma e sim essa tentativa de golpe paraguaio.

      Excluir
  6. “Nada foi pior do que o governo Sarney, ou o último mandato de FHC”
    ▬▬▬▬▬
    Antes de FHC realmente era uma bagunça, mas não dá para negar o mérito de seus oito anos de governo.

    Demonizaram tanto FHC em seus últimos 4 anos que até eu acreditei.
    Não, não estou dizendo que ele foi perfeito, mas muito melhor que Lula ele foi.

    Índice de Desenvolvimento Humano [IDH]

    GOVERNO FHC - Entre 1995 e 2000, o Brasil melhorou seu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0,753 para 0,789

    GOVERNO DILMA - O índice brasileiro é 0,744 -- a média da América Latina é de 0,74 e a média mundial ficou em 0,702.

    Os dados foram divulgados em relatório do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) nesta quinta-feira (24) com base em números referentes ao ano de 2013.
    [A escala do IDH vai de 0 a 1 -- quanto mais próximo de 1, melhor o desempenho do país.]

    Houve uma pequena mudança na metodologia dando mais peso a educação, mas observem que matematicamente essa história que o Governo FHC foi um desastre em termos de qualidade de vida não corresponde a realidade.
    É mais uma mentira contada pelos fanáticos petistas.

    Um cidadão chegou a dizer que estamos melhor porque temos mais tablets e tvs de LED!!!!!!!

    Caraca mano! Os petistas inventaram esses produtos ou foi a competitividade tecnológica que existe no Capitalismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem uma coisa nem outra.

      Provavelmente o dito cidadão quis dizer que na época do Lula, as pessoas tinham dinheiro para comprar TVs de Led, ou pelo menos crédito, com o incentivo ao consumo que foi a resposta bem sucedida do governo à crise capitalista de 2008.

      Agora você diz que o governo FHC foi melhor que Lula, e isso eu nem vou discutir porque é questão meramente ideológica. Uma pessoa honesta jamais diria isso, por puro comprometimento com a verdade.

      Mas o detalhe é que você compara os números de FHC com os de Dilma (2013) que são políticas econômicas muito parecidas...

      A comparação com os números de Lula, não obstante seus erros, dariam resultados muito diferentes..

      Excluir
    2. Não são só números são ações:

      A matemática também está nas datas.

      Se o FIES foi criado em 1998 então não foi criado no governo Lula.
      Se o remédios genéricos foram introduzidos em 1999...
      Se o Bolsa Escola foi implementado em 2001...

      Vejam um pouco da história:
      [É fato não é boato]

      1985 – O PT é contra a eleição de Tancredo Neves e expulsa os
      Deputados que votaram nele.

      1988 - O PT vota contra a nova Constituição que mudou o rumo do Brasil.

      1989 - O PT defende o não pagamento da dívida brasileira, o que transformaria o Brasil num caloteiro mundial.

      1993 - Presidente Itamar Franco convoca todos os partidos para um governo de coalizão pelo bem do país. O PT foi contra e não participou.

      1994 - PT vota contra o Plano Real e diz que a medida é eleitoreira.

      1996 - PT vota contra a reeleição. Hoje defende.

      1998 – PT vota contra a privatização da telefonia, medida que hoje nos permite ter acesso a internet e mais de 150 milhões de linhas telefônicas.

      1999 - PT vota contra a adoção do câmbio flutuante.

      1999 – PT vota contra a adoção das metas de inflação.

      2000 - PT luta ferozmente contra a criação da lei da responsabilidade fiscal, que obriga os governantes a gastarem apenas o que arrecadarem, ou seja, o óbvio que não era feito no Brasil.

      2001 - PT vota contra a criação dos programas sociais no governo FHC. Bolsa escola, vale alimentação, vale gás e outras bolsas são classificadas como esmolas eleitoreiras e insuficientes.

      Quase toda estrutura socioeconômica do Brasil “que deu bons resultados” foi construída no período listado acima.
      O PT foi contra tudo e contra todos.
      Hoje roubam todos os avanços que os outros partidos promoveram e posam como os únicos construtores de um país democrático.

      Excluir

Leia nossos Termos de Uso

Tecnologia do Blogger.