15 de março de 2014

Não mexam com a nossa cerveja

Cerveja Brasileira

Às vezes dá a impressão de que brasileiro nasceu para se dar mal na vida mesmo. E ele parece não ligar muito. Não sei se por culpa da nossa histórica herança católica que fomenta a prostração conformada, ou por conta mesmo de uma elite egoísta que quer tudo pra si. Mas  o fato é que sempre somos obrigados ter o de menos e pagar sempre o de mais.

Nossos carros “populares” custam mais caro que os possantes de luxo estrangeiros; nossos shows musicais custam 2 vezes mais do que lá fora; nossos transportes públicos são horríveis apesar das tarifas estratosféricas; nossos empresários adulteram alimentos e até a gasolina, como traficantes de drogas que colocam talco na cocaína para render mais; nossos políticos recebem os maiores salários do mundo para trabalharem apenas na quarta-feira… A lista de sacanagens é infinita.

Estava até dando pra aturar. Afinal, ainda temos a nossa cerveja sagrada para beber e fugir dos problemas. Temos? Mas não é que resolveram adulterar até a nossa cerveja??

Recentemente foi publicado nas redes sociais que a cerveja que o brasileiro consome pode conter até 48 por cento de milho transgênico em vez de cevada… Quer dizer, além de ser milho no lugar da cevada, ainda é transgênico, com todos os riscos inerentes a esta recente prática de manipulação genética dos alimentos. A justificativa é uma das coisas mais cretinas que já se viu nos últimos tempos. A Ambev diz que a adição de ração de galinha (milho) na cerveja do consumidor, é para “ajustar o sabor da bebida ao paladar do brasileiro”. É ou não é nos chamar de otários na maior cara de pau? Talvez sejamos mesmo…

Mas não podemos ficar parados. Nos roubem, nos sacaneiem, nos façam de idiotas, mas não mexam com a nossa cerveja!

Anterior
Próximo

Professor de História, Mestre em História Política pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), carioca, usa este espaço para comentar sobre os assuntos da política e da sociedade de forma simples e clara, sem, no entanto, abrir mão do rigor da checagem dos fatos.

0 Comentários:

Leia nossos Termos de Uso