O dilema de quem quer votar na esquerda nas eleições presidenciais


Sempre admirei a postura dos membros das escolas de samba do Rio de Janeiro. Independentemente de ganharem o Carnaval ou não, ficam felizes quando as suas agremiações fazem um bom papel na avenida e mandam o seu recado. Mas eu confesso que, em se tratando de política em ano eleitoral, a minha conduta é mais para o torcedor de futebol: quero que o meu time vença o campeonato, ou seja, que algum candidato de esquerda vença a eleição desse ano.

Guilherme Boulos quase certamente será o candidato do PSOL, enquanto que, pelo PDT vem Ciro Gomes. Não vejo nenhum outro candidato de esquerda que possa ser cogitado, mesmo que a Lula seja permitido se candidatar. O próprio PCdoB admitiu que a candidatura de Manuela D'Ávila tem por natureza ajudar a eleger deputados por causa da nova lei da cláusula de barreiras e, portanto, não pode ser considerada.

Tendo em vista essa situação, apresenta-se um dilema para quem pretende um dia ver um candidato verdadeiramente de esquerda no poder. Desde já, considerando que uma revolução esteja longe no horizonte e que o jogo da democracia burguesa precise ser jogado na conjuntura atual, é claro.

Isso porque o candidato verdadeiramente de esquerda, com pedigree e berço é o Boulos. Saiu da academia e foi viver a luta do dia-a-dia junto dos sem-teto, transição que muitos têm dificuldade de realizar. A maioria das esquerdas fala em nome de uma realidade que não conhece in loco, na pele, somente dos debates em auditórios de universidades, e este certamente não é o caso do membro da Coordenação Nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, o MTST. Além disso Boulos dialoga com entidades e sindicatos de esquerda, como o coirmão MST, e o movimento Povo Sem Medo, formando uma rede que verdadeiramente atinge diversos segmentos populares.

Sua desvantagem se dá pelo fato de não ser uma figura recorrente nos meios de comunicação burgueses que dominam a informação. Além disso, nunca participou da política institucional através de um mandato eletivo, por exemplo, como vereador ou deputado. A organização na qual milita é alvo de ataques da imprensa e seu apelo diante do eleitor médio não é dos maiores. Suas intenções e propostas são as melhores, mas suas chances de ganhar são estatisticamente minúsculas.



Ciro Gomes, por seu turno, por muitos nem de esquerda sequer é considerado. Seu passado remoto não lhe conta muitos pontos a favor. No entanto, recentemente tem demonstrado não só uma postura, como um leque de propostas inequivocamente de esquerda. Pautas que um PSOL abraçaria sem nem pestanejar, como a auditoria da dívida pública, a taxação das grandes fortunas, a defesa dos recursos naturais como o petróleo, e etc. O grande diferencial, no entanto, é a defesa de um rico projeto nacional de desenvolvimento, coisa que as esquerdas ainda nem sonharam em fazer.

Logicamente, Ciro Gomes não é nenhum revolucionário e não tão à esquerda no espectro político como o Boulos, mas, dentro do que se espera num sistema político burguês-capitalista, é o que pode ter mais chances de vencer o pleito e trazer algum benefício para as esquerdas.

O sogro de Boulos, membro do PSOL, deu uma entrevista recentemente na Folha e disse que o incentiva a ser candidato, porque, mesmo difícil, a candidatura "consolida uma política". Ou seja, exatamente como o sambista do Carnaval que fica feliz com sua escola apenas dando o seu recado na avenida, Boulos pode dar sua missão por cumprida se levar aos debates as demandas populares. Mas a esquerda precisa ganhar essa eleição, talvez a última chance de reverter o crescimento das hostes ultrarreacionárias que saíram do armário no país. E quem sabe, apesar de não ser o candidato dos sonhos das esquerdas, Ciro Gomes, com mais chances de vitória, ainda mais se Lula tiver juízo e apoiá-lo, possa por em prática em seu governo algumas dessas demandas mais caras aos setores populares.

Fica então o dilema: votar no candidato mais à esquerda, com menos chances de ganhar, ou no canditado menos à esquerda, com mais chances de ganhar? 

Comentários

  1. Vou votar no Nildo Ouriques

    https://www.youtube.com/watch?v=7XLZDt3uZL4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria um bom nome, mas em março é muito provável que o PSOL apresente Boulos como o candidato do partido.

      Excluir

Postar um comentário

Leia nossos Termos de Uso