Sérgio Buarque e os Estados Unidos idealizados como o paraíso na Terra

D ando sequência à resenha do livro de Jessé Souza, A Tolice da Inteligência Brasileira , que começou em A ciência brasileira a serviço das...

Pobreza na América

Dando sequência à resenha do livro de Jessé Souza, A Tolice da Inteligência Brasileira, que começou em A ciência brasileira a serviço das desigualdades, vamos falar agora do tipo colonizado e conservador de liberalismo que surgiu no país principalmente na esteira das ideias de Sérgio Buarque de Holanda, o pensador que conta com o prestígio em todos os espectros políticos do país.

Segundo Jessé Souza em seu livro, o aspecto decisivo comum a toda tradição liberal brasileira é um tipo de encanto por uma sociedade idealizada como a perfeição na Terra: os Estados Unidos. Esse país sempre representou uma espécie de parâmetro para os liberais brasileiros, assim como a aristocracia tinha na França o seu modelo ideal.

Sérgio Buarque constrói a dicotomia definitiva entre o homem cordial brasileiro e todos os seus defeitos, como sua emotividade e pré-racionalidade que guiam seu comportamento e o protestante ascético norte-americano, referência de tudo o que é positivo, como a racionalidade, o senso de responsabilidade, guiado por relações impessoais. Grandes bobagens generalizantes, com toda a certeza, mas que perduram no imaginário nacional com grande persistência.

Homem cordial sem classe social?

A grande crítica feita pelo autor da Tolice da Inteligência Brasileira é justamente o aspecto generalizante da noção de homem cordial: mesmo com a imensa desigualdade social num país de população tão grande — ou seja, com diversas camadas sociais — o “homem cordial” não tem classe social, escondendo as diferenças e os conflitos sociais por trás de uma figura idealizada, que serve somente ao desiderato de contraponto negativo ao protestante ascético norte-americano, também este idealizado como símbolo da perfeição norte-americana. Nessa leitura, os estadunidenses seriam os campeões da democracia ideal, impessoal e da eficiência por razões históricas e culturais. Portanto, atestando assim a superioridade moral de sua cultura.

Não precisamos — ou precisamos? — afirmar o quando essa construção está longe da realidade, ainda mais hoje em dia. Os Estados Unidos também sofrem com brutais desigualdades sociais; a vida do americano médio é exatamente isso, medíocre, alienada, enganada, sem direitos sociais assegurados, onde o cidadão é “preso a pequenos prazeres e ditames de uma indústria de consumo que lhe diz o que sentir e o que querer”. E também a um governo sequestrado pelos interesses da indústria bélica e do mercado financeiro, como vem denunciando Bernie Sanders, que concorre com Hillary Clinton ao direito de disputar a presidência da República pelos Democratas. Sérgio Buarque seria então, segundo Jessé, “o grande criador de uma tradição colonizada até o osso” com base nessas invenções.

É de Buarque a grande contribuição que perdura até hoje nas mentes colonizadas brasileiras: a noção de que todos os defeitos do “homem cordial” se materializam especialmente em sua atuação no Estado, tese que vai se concretizar na ideia do patrimonialismo:

Tudo isso sob o pano de fundo não discutido de que existe um lugar do mundo onde os ‘privilégios’ do acesso a relações de influência e prestígio não acontecem. A imagem idealizada dos Estados Unidos como terra da justiça social e da igualdade de oportunidades é o panorama de literalmente todas as ideias-força dos liberais brasileiros (p.48)

Coube, portanto, a Sérgio Buarque lançar as bases ideológicas que caracterizam o liberalismo conservador dominante hoje no Brasil. Jessé Souza resume essa contribuição em quatro pontos:

  1. A idealização dos Estados Unidos como uma espécie de “paraíso na Terra”, com justiça social e igualdade de oportunidades, com o protestante pré-capitalista, e portanto, “mítico”, servindo de contraponto crítico da situação brasileira;
  2. O homem cordial brasileiro como um ser genérico de todas as classes, emotivo, prisioneiro das paixões do corpo, e, portanto, moralmente inferior, indigno de confiança e tendencialmente corrupto;
  3. O amálgama institucional do “homem cordial” na noção de “patrimonialismo” apenas estatal, que servirá mais tarde para a contraposição entre mercado virtuoso e Estado demonizado;
  4. A criação de um caminho alternativo universalizável para toda a nação: um antiestatismo sob a condução dos interesses de mercado do Estado de São Paulo.

[continua]

COMENTÁRIOS

Nome

economia educação história internacional mídia opinião politica e sociedade sem categoria socialismo e capitalismo
false
ltr
item
Panorâmica Social: Sérgio Buarque e os Estados Unidos idealizados como o paraíso na Terra
Sérgio Buarque e os Estados Unidos idealizados como o paraíso na Terra
https://lh3.googleusercontent.com/-iNEoXgucHRE/V3mDhJkpJgI/AAAAAAAAJyM/tYfAf3bQbEw/Pobreza-na-Amrica%25255B1%25255D.jpg?imgmax=800
https://lh3.googleusercontent.com/-iNEoXgucHRE/V3mDhJkpJgI/AAAAAAAAJyM/tYfAf3bQbEw/s72-c/Pobreza-na-Amrica%25255B1%25255D.jpg?imgmax=800
Panorâmica Social
http://www.panoramicasocial.com.br/2016/03/sergio-buarque-e-os-estados-unidos.html
http://www.panoramicasocial.com.br/
http://www.panoramicasocial.com.br/
http://www.panoramicasocial.com.br/2016/03/sergio-buarque-e-os-estados-unidos.html
true
650628655076264791
UTF-8
Nenhuma postagem encontrada VER TODAS Continue Responder Cancelar resposta Delete Por Início PÁGINAS POSTS ver todas RELACIONADAS Categorias ArquivoE PESQUISAR TODAS AS POSTEAGENS Sua busca não gernou nenhuma postagem Voltar para o início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mar Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora Há 1 minuto Há $$1$$ minutos Há 1 hora Há $$1$$ horas Ontem Há $$1$$ dias Há $$1$$ semanas Há mais de 5 semanas Seguidores Seguir ESSE CONTEÚDO É PREMIUM Por favor, compartilhe para desbloquear Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy