Panorâmica Social

Denúncia das injustiças da plutocracia brasileira e mundial

26 de janeiro de 2016

Capitalismo x socialismo, uma comparação problemática. Entenda.

socialismo e capitalismo

Há algum regime comunista- socialista em que haja uma democracia plena, com ordem e progresso? Há algum regime comunista-socialista em que o seu povo viva bem social- democraticamente e financeiramente?

Essas são perguntas recorrentes, com algumas variações, feitas por simpatizantes/beneficiários (reais ou imaginários) do sistema capitalista-liberal em contraposição àquilo que eles imaginam ser o comunismo/socialismo na prática. Eu entendo que as façam. Nós, do Ocidente, estamos acostumados a ter como ideia de mundo, desde que nascemos, um capitalismo maravilhoso, justo e meritocrático, enquando “do lado de lá” só há totalitarismo, sofrimento e miséria. Mas existem duas questões importantes, no mínimo, que deixam a comparação um tanto problemática.

Geralmente se levanta a questão do bem estar nas sociedades capitalistas. Bem, primeiro, lembremos como eram os países capitalistas na Europa no século XIX, quando o capitalismo se consolidou de vez: trabalhadores esgotados, trabalhando 14 horas por dia, famintos, miseráveis e com uma vida de cão. Ganhavam apenas o mínimo para garantir que não morressem no trabalho. Se o capitalismo hoje parece mais humano, "social", foi por causa das lutas sociais, das greves, dos trabalhadores organizados tomando porrada da polícia nas ruas pra garantir alguns direitos que o capital nunca deu de graça. Também existiu o medo, com a ascensão da União Soviética, de que os explorados trabalhadores se sentissem tentados a abraçar a bandeira do comunismo. Então, por conta disso, algus direitos foram assegurados para apaziguar a chama revolucionária nos países capitalistas. Ou seja, no mínimo indiretamente, cada trabalhador, socialista ou não, deve muito aos comunistas.

E segundo: poucas sociedades socialistas comunistas desfrutaram historicamente durante algum tempo de "democracia, ordem e progresso". Porque tal como no Chile de Allende, no Brasil de Jango (que nem comunista era, apenas um defensor de direitos dos trabalhadores) diversos governantes, especialmente na América Latina, sofreram golpes de Estado com a ajuda do país "mais livre e democrático do mundo" (os EUA) que abortaram esses projetos antes que prosperassem. Isso sem falar na Venezuela, que sofreu um golpe revertido pelo povo nas ruas, e Cuba, onde Fidel é provavelmente o ser humano que mais foi vítima de tentativas de assassinato no século XX. Por isso, países como a Coreia do Norte, Cuba, entre outros, resistem militarmente, mas sofrem sanções econômicas do mundo “livre” capitalista que prejudicam o seu progresso material. Mas mesmo assim, nestes lugares não existem miseráveis, sem-teto, mendigos e famintos, como nos países capitalistas. Todos tem onde morar, tem hospital de alto nível e educação de graça, e uma participação política que não se vê nem na Europa. Isso que é bem estar social, não acham? O que adianta ter um Iphone e morrer na fila dos hospitais, ou de fome, como acontece no Brasil e em muitos países capitalistas?

Saiba mais: Mais de 60% dos brasileiros que passam fome têm celular, diz IBGE

Além disso "ordem e progresso", bem como "democracia" são lemas vagos, burgueses e liberais que nunca saíram do papel de fato. A ordem que vivemos é deplorável, com uma desigualdade social mundial que só aumenta entre bilionários e miseráveis; o progresso é restrito a poucos que vivem numa bolha de consumo capitalista, enquanto o resto fica de fora da festa; e a democracia burguesa se resume a ir apertar uns botões na urna eletrônica de dois em dois anos, porque tudo é um jogo de cartas marcadas onde o poder econômico manda e os políticos obedecem.

São fatores, portanto, que devem sempre ser levados em conta quando alguém capciosamente pretende comparar as maravilhas do capitalismo e as “desgraças” do comunismo.



2 comentários:

  1. CONQUISTAS TRABALHISTAS

    Os sindicalistas adoram falar mal da indústria, mas a indústria faz falta os sindicatos não.

    Sindicatos só existem em função das empresas.

    Os esquerdistas se dizem responsáveis por férias e benefícios trabalhistas em geral, vamos meditar sobre isso.

    Podemos conseguir coisas basicamente de três modos:
    Força, Negociação ou Caridade.

    Um ladrão aponta um revólver e me "pede" o celular... ele irá conseguir o celular pela força.
    Você se interessa por meu celular e oferece 400 reais nele, você pode conseguir o celular por negociação.
    Meu celular está bom, mas me interesso por um modelo mais sofisticado sei que você está precisando de um e lhe dou o meu por caridade/presente.

    Note que a existência do celular é essencial em qualquer das 3 situações.

    Sindicalistas e políticos não são seres a parte da humanidade.
    Não são alienígenas visitando esse planeta.

    Sindicalistas são pessoas escolhidas entre os trabalhadores para nos representarem nas NEGOCIAÇÕES.
    É apenas uma praticidade.
    É mais eficiente conversar com um grupo de 10 pessoas que conheçam as reivindicações de 200 do que reunir 200 pessoas para conversar a cada negociação.

    Não podemos esquecer que Sindicatos não produzem nada, vivem da “doação obrigatória” dos trabalhadores.

    Só dá para dividir o “pão” [Bens e serviços] se há pão para dividir e nos organizarmos em empresas [Revolução Industrial] foi o que gerou abundancia, muita riqueza e produtividade.

    Férias de 30 dias só são possíveis porque o Capitalismo aumentou muito a PRODUTIVIDADE.

    Antes da Industrialização não tinha férias, você trabalhava no campo de Sol a Sol, a produtividade era baixa.
    Se não trabalhava não comia.
    Em países onde caia neve até era possível “algum” descanso nos dias mais frios, mas para isso era preciso trabalhar muito em outros períodos para acumular alguma coisa.
    ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
    Qualquer tipo de subsídio que você imaginar “dado” pelo Governo só tem como ser bancado usando o dinheiro dos impostos.

    Se a prefeitura da sua cidade paga parte da sua passagem de ônibus esse dinheiro não sai do bolso do prefeito e vereadores sai das diversas taxas e impostos.
    Para você pagar imposto tem que ter alguma renda, emprego.
    Quem gera emprego são as empresas.
    Logo, além das empresas pagarem impostos e taxas como pessoa jurídica ainda possibilitam você pagar seus impostos como pessoa física.
    Por isso as cidade disputam a ferro e fogo a presença de empresas industriais, comerciais ou agrícolas.

    “A desativação da Votorantim Metais em 2013, fez os gestores municipais de Fortaleza de Minas (MG) cortarem gastos, demitirem servidores e decretarem estado de emergência.
    Os cerca de 4300 habitantes já sentiram o efeito, mas devem se preparar porque o pior está por vir, de acordo com a Prefeita Neli Leão do Prado.” [João Alberto Pedrini/Folha]

    Porque algum sindicato não assume o negócio e trabalha coletivamente!?
    Mostre ao Grupo Votorantim como se administra uma empresa.

    Se sindicalistas tem uma proposta tão melhor que a economia de Mercado (criticada por eles) porque não colocam em pratica?

    O sindicato dos metalúrgicos poderia montar uma empresa metalúrgica nos moldes socialistas, ela seria “de certo” muito boa, um exemplo a ser seguido pelas “ineficientes e exploradoras” industrias convencionais.
    O máximo que os sindicatos conseguem fazer é administrar Colônias de Férias!!

    ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
    O trabalho é uma maldição de Deus sobre a humanidade.

    http://terapiadalogica.blogspot.com.br/2015/10/conquistas-trabalhistas.html
    _______________

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já é a segunda vez que eu tenho que te avisar, se você continuar copiando e colando respostas prontas do seu blog, eu serei obrigado a apagar.

      Excluir

Leia nossos Termos de Uso