Feliz ano novo de lutas

protestos-no-BrasilChegou 2014. Um ano especial para as camadas médias urbanas do país. Afinal é ano de Copa do Mundo no Brasil.

Mas também é um momento decisivo para uma outra parcela enorme dentro desse mesmo segmento social, que, junto com as classes menos favorecidas, promete lutar contra esse modelo elitista-capitalista-empresarial que querem emplacar no nosso país.

As lutas sociais que aconteceram no ano passado foram um prelúdio do que está por vir. Embora muitas vezes dispersas, sem liderança ou metas claramente estabelecidas, podemos firmemente enquadrá-las dentro do contexto mundial de luta contra os desmandos do capitalismo internacional – movimento que se inaugurou na luta dos zapatistas de Chiapas, se seguiu nas famosas batalhas de Seattle em 1999 contra a OMC e em 2001 nos protestos contra o encontro do G8 em Gênova, e que culminaram na Primavera dos Povos Árabes de 2011 e chegaram até Nova Iorque, no Occupy Wall Street.

Os protestos brasileiros, embora bastante diversificados em reivindicações, devem ter esse foco em seu horizonte: ativistas negros, feministas, gays, estudantes, militantes políticos de esquerda, todos devem convergir seus esforços em 2014 contra o neoliberalismo travestido de modernidade empresarial que o governo petista persiste em alimentar.

Se temos a oportunidade de mostrar ao mundo que mudamos, que agora não nos contentamos com pouco, que não aceitamos mais ser enganados e vilipendiados, a chance é agora. Todas as atenções estarão voltadas ao Brasil.

Por isso, desejo a todos os amigos, leitores, comentaristas e divulgadores do nosso blog, um 2014 de muitas lutas. A repressão das classes privilegiadas será grande, mas o céu é o nosso limite. Nos vemos nas ruas.