O voo alegre do Marco Feliciano no Bule Voador

FelicianoNada mais lamentável que uma necessidade constante de parecer gentil e cavalheiresco, ao se defender alguém que não merece esse tipo de tratamento, apenas para melhorar e reforçar a sua imagem de bem ponderado. O site ateísta Bule Voador é mestre nesse tipo de atitude supostamente neutra e equilibrada, mas vazia e desnecessária. E equivocada, o que é pior.

Recentemente foi divulgado o vídeo de um voo em que o pastor homofóbico, racista e misógino Marco Feliciano foi alvo de uma brincadeira de dois rapazes, que cantaram e dançaram a música Robocop Gay, dos Mamonas Assassinas. Aí pronto, foi o suficiente para a patrulha dos bons modos ateístas entrar em ação de novo.

No texto publicado no site, denominado “Até o pastor Feliciano tem direito a um voo tranquilo…” o autor Eduardo Patriota esbanja cavalheirismo, cortesia e solidariedade ao pastor, bem como indignação e censura contra os “provocadores” com pitos como esse: “TOCAR o pastor [Caps Lock no original], como forma de provocação, é uma agressão e, ao meu ver, passa do limite”. 

E ainda me sai com essa: “Eu não gostaria de ser zombado, tocado e incomodado por religiosos ao dizer abertamente que sou ateu”.

Ora senhor Patriota, parece que você não sabe bem do que está falando. Quem disse que as pessoas debocham, recriminam, tiram sarro, provocam e irritam o pastor pelo fato dele ser religioso?? Eu também não gostaria de ser incomodado por religiosos pelo mero fato de ser ateu, mas pra isso eu também não posso ser um cretino fundamentalista e arrogante, desses que afirmam que todos os crentes são doentes ou precisam de tratamento – que é exatamente o que o pastor Marcos Feliciano faz com relação aos seus desafetos, com o agravante de ser o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara!! Porque senão eu poderia muito bem suscitar uma reação religiosa que certamente poderia não ser tão inofensiva quando a que recebeu o nobre pastor em seu voo…

Lá fora, em países mais progressistas e menos hipócritas, certamente tal protesto contra uma pessoa desse nível rasteiro suscitaria aplausos e apoios. Mas aqui, como somos uma nação de viés conservador moralista inconfessável, achamos que os manifestantes "passaram dos limites". Façam-me um favor...

Mais uma vez, lamentável essa sempre recorrente necessidade do Bule Voador de posar de arauto do respeito e da boa convivência com quem não merece nem uma coisa nem outra.

Postagens mais visitadas deste blog

Voz de prisão. Na teoria, uma coisa, na prática, outra bem diferente

Qual é o termo gentílico mais adequado para quem nasce nos Estados Unidos?

Deputados contra a Reforma da Previdência: consciência política ou barganha pelas emendas parlamentares?

Como os homens manipulam a “vontade de Deus” de acordo com suas necessidades: a questão do lucro