Faça como Edmundo. Cometa um crime e se beneficie da Justiça

edmundo-preso Existem vários e vários exemplos de como criminosos (dolosos ou culposos) conseguem escapar da justiça através de artimanhas jurídicas. A mais conhecida delas é arrastar o processo ad infinitum — coisa que advogados de má-índole sabem fazer muito bem — até que, um belo dia, o réu tenha "extinta a sua punibilidade" por conta da prescrição do alegado crime. O mais novo beneficiado deste artifício sem-vergonha é o ex-jogador e hoje comentarista Edmundo.
carro-do-edmundo Em 1999 o jogador foi condenado a 4 anos e meio em regime semi-aberto por homicídio culposo de três pessoas e lesão corporal de outras três, por conta do grave acidente automobilístico em que se envolveu enquanto dirigia seu carro na Lagoa Rodrigo de Freitas. Cansado de enrolações judiciais, o juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro, expediu o mandado de prisão contra Edmundo em junho deste ano, mas o ex-jogador foi solto no dia seguinte por conta de um desses famigerados habeas-corpus.
Joaquim Barbosa, ministro do Supremo Tribunal Federal, com base nesta nossa justiça de meia-tigela, acabou de sentenciar hoje a prescrição do crime.
Como ficam as famílias das vítimas -- dentre as quais, havia uma jovem de 16 anos -- que ansiavam por justiça? Este país está realmente precisando de um choque de sem-vergonhice e dignidade.
A todos vocês, que por um acaso venham a cometer algum crime que em qualquer outro país do mundo seria passível de condenação severa, fica a dica: contrate um bom advogado, desses que sabem como encontrar as brechas necessárias para burlar a lei, porque ele vai fazer o seu julgamento correr a passos de tartaruga, jogando-o sempre um pouco mais à frente. Passa-se um ano, dois, cinco, dez... talvez em algum momento apareça um juiz chato como esse Carlos Eduardo Carvalho ou como aquela que foi morta recentemente, a Patrícia Acioli, para tentar fazer a justiça e te fazer passar uma noite ou duas na prisão, mas nada que seu advogado não consiga reverter com um belo habeas-corpus. E quando menos você esperar, um ministro do STF estará declarando que sua punibilidade está extinta -- que na linguagem dos plebeus quer dizer: seu crime não será mais julgado, parabéns, está livre, vai curtir a vida rapaz!
Mas se for cometer um crime, cometa logo. Vai que daqui a alguns anos eles resolvam tomar vergonha na cara...
dHITT palavras-chave: , , , ,