Obrigado Petkovic

pet
Quem não gosta de futebol (acredite, há gente assim no Brasil) tem dificuldade de entender a emoção que o esporte — capaz de fazer marmanjos chorarem feito crianças — causa nas pessoas. Não conseguem comprender a idolatria eterna a ídolos do passado e do presente, que são sempre homenageados por seus fãs. O Flamengo é um clube repleto de ídolos históricos de uma torcida exigente e apaixonada, e nossa galeria acaba de ganhar mais um ícone eterno: Petkovic


Não são muitas as ocasiões em que eu me permito chorar em público. Talvez resquício de algum orgulho machista, fruto de uma criação do tipo “homem não chora”. Nos últimos 10 anos, curiosamente, aconteceu apenas duas vezes, e tudo por causa de um jogador: Dejan Petkovic.
27 de maio de 2001, eu em casa com a família, assistindo ao último jogo da final entre Flamengo e Vasco, pela terceira vez em três anos seguidos. O Flamengo precisava vencer por dois gols de diferença, e o placar marcava 2 x 1 para gente, faltando, portanto, mais um gol para o título. Aos 40 minutos do segundo tempo, Fabiano Eller do Vasco faz falta no Edílson perto da grande área. Eu me agarrei à almofada, fechei os olhos, não queria ver... Pet vai bater a falta...


Depois do gol, corri pela casa feito louco, sem saber o que fazer.. .joguei a almofada pro alto, aos gritos, depois desabei no sofá e chorei, chorei de soluçar... incrível, o Flamengo ia ser tricampeão com um gol fantástico aos 43 do segundo tempo!! Pet conquistou ali o coração da maior torcida do país.
Depois disso, alguns desentendimentos com o clube e os colegas fizeram o Pet ir embora. Rodou por diversos clubes, mas nunca se firmou em lugar nenhum. Em 2009, aos 37 anos e debaixo de desconfiança, voltou ao Flamengo para brilhar na conquista do hexa-campeonato brasileiro. Este ano, fora dos planos do novo treinador por causa da idade, Pet treinava à parte do grupo, e resolveu encerrar a carreira.
Neste fim de semana, 10 anos depois do histórico gol de falta, chorei de novo. Lágrimas caíram ao ver Petkovic no seu jogo de despedida do futebol, por tudo o que este jogador representou a milhões de pessoas com seu talento, sua classe e seus golaços nas duas passagens pelo rubro-negro. Encerrava-se assim o ciclo de um dos maiores jogadores do Brasil dos últimos anos. Muito obrigado Pet, por tudo o que você fez pelo Flamengo. A nação não vai te esquecer jamais.


flamengo-petkovic

Postagens mais visitadas deste blog

Voz de prisão. Na teoria, uma coisa, na prática, outra bem diferente

Qual é o termo gentílico mais adequado para quem nasce nos Estados Unidos?

Deputados contra a Reforma da Previdência: consciência política ou barganha pelas emendas parlamentares?

Como os homens manipulam a “vontade de Deus” de acordo com suas necessidades: a questão do lucro