Beneficiários de gratuidade ficam a pé no Rio de Janeiro


ponto-de-onibus
Em reportagem produzida pela Band News FM, sob comando do jornalista Ricardo Boechat, foi denunciada uma situação vergonhosa que vem acontecendo frequentemente no precário sistema de transporte coletivo rodoviário do Estado do Rio de Janeiro: as empresas de ônibus discriminam beneficiários da gratuidade, como idosos, deficientes físicos e alunos, nos ônibus com ar condicionado. Se isso já não fosse um escândalo por si só, estes passageiros ainda precisam esperar às vezes mais de uma hora para embarcar nos “quentões”, como são popularmente conhecidos os veículos sem ar condicionado.


Onibus Idosos e deficientes só podem andar de “quentão”

Por conta de dezenas de denúncias, Boechat foi ouvir o diretor técnico-operacional do Detro (Departamento de Transportes Rodoviários), João Cassimiro, responsável por fiscalizar as empresas de ônibus. E pasmem! Ele afirmou que a discriminação nos ônibus com ar condicionado está perfeitamente dentro da lei! Segundo ele, isso é fruto de uma legislação federal proposta e aprovada pelo Congresso. Para Cassimiro, o que não dá para tolerar, é a demora dos “quentões”; a discriminação está perfeitamente dentro da legalidade. Ou seja, existem deputados naquele Congresso que, eleitos para defenderem nossos direitos, defendem os interesses dos empresários de ônibus.
Dentre todas as denúncias, há o caso de um garoto de dez anos morador de São Gonçalo, portador de uma grave doença muscular, que precisaria ir três vezes por semana fazer fisioterapia no Engenho de Dentro, mas que só vai uma vez por semana, porque é impedido de entrar nos ônibus com ar condicionado da linha 110, da empresa Coesa. Além disso, de cada seis ônibus em média que passa, só um é “quentão”. Então seu pai precisa esperar até 50 minutos no ponto enquanto assiste vários ônibus que lhe serviria passar batido ou não deixá-lo entrar. Uma vergonha sem tamanho. 

SG - Coesa 252 Coesa, uma das empresas que desrespeitam o passageiro

Imagine o que as pessoas de outros países como a França, a Suécia, a Alemanha ou Japão, por exemplo, pensariam de nós se soubessem que no Brasil existe uma lei federal que não permite que idosos, deficientes físicos e estudantes  peguem o transporte com ar condicionado, só o “quentão”… No mínimo, achariam mais um absurdo à la brasileira. Seria muito importante descobrir quem é o pilantra desumano que propôs uma lei como essa, para que ele possa explicar suas suspeitas razões. Se for possível, em breve o seu nome estará estampado aqui no blog também, para que seja denunciado. Também vamos esperar pra ver se o diretor técnico-operacional do Detro vai cumprir a sua promessa de apertar o cerco contra esta e outras empresas que fazem os usuários de ônibus esperarem até uma hora nos pontos de ônibus. 

Postagens mais visitadas deste blog

Voz de prisão. Na teoria, uma coisa, na prática, outra bem diferente

Qual é o termo gentílico mais adequado para quem nasce nos Estados Unidos?

Deputados contra a Reforma da Previdência: consciência política ou barganha pelas emendas parlamentares?

Como os homens manipulam a “vontade de Deus” de acordo com suas necessidades: a questão do lucro